quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Reflexão

Estou lendo/saboreando o livro 'Pajé' de Yara Miowa, que fala das tradições e crenças de dois mundos opostos: a cultura indígena e a oriental. O trecho a seguir eu li ontem, a caminho do trabalho, e achei interessante: "A crise desnuda, revela, desvela. Não é a toa que, em chinês, o mesmo ideograma escreve 'crise' e 'oportunidade'. Ao destruir, a crise abre espaço para novas oportunidades, pois o que nela se faz patente são os teus limites. As crises te forçam a admitir que falhas e que erras e que tantas coisas não consegues, nem podes fazer. Esta hora de tomada de consciência da fragilidade da tua condição humana é dolorosa e difícil. Por isso, é também a hora da humildade - não diante do outro, porém, diante das tuas próprias e titânicas aspirações." (pag. 76). Realmente, nós nos julgamos imbatíveis, e quando chega um momento crítico, não aceitamos a nossa fragilidade, mas os sábios reconhecem suas limitações e crescem a partir das adversidades.

Um comentário:

Fênix Dualista disse...

puxa, esse livro deve ser bacana mesmo, gostei do trecho q vc postou.
vim agradecer sua visita ao meu blog, obrigada pelo elogio à minha poesia, volte sempre!

bjo